Salutar só é quando no espelho da alma do homem, se forma a comunidade toda, e na comunidade vive a força da alma individual."

 

Rudolf Steiner

 

O que é a educação Waldorf?

A educação Waldorf é uma forma única e distinta de educação para crianças, praticada mundialmente nas escolas Waldorf. As escolas Waldorf formam atualmente a maior cadeia independente de escolas do mundo, e provavelmente a que mais rapidamente tem crescido nos últimos anos.


Não existe uma estrutura centralizadora que “comande” todas as escolas Waldorf do mundo. Cada uma é administrada independentemente. Mas existem associações que provêem recursos, publicam materiais, patrocinam conferências e promovem o movimento.

 

Por que a educação Waldorf é diferente?

Se fosse possível resumir numa frase, diríamos que “nosso mais alto empenho deve ser o de desenvolver seres humanos capazes de, por eles próprios, dar sentido e direção às suas vidas”.

 

A principal meta de uma escola Waldorf desenvolver na criança “cabeça, coração e mãos” através de um currículo que balanceia atividades escolares.

 

Este currículo insere música (flauta doce, contralto, orquestra e coral); artes (aquarela, marcenaria, modelagem e escultura em argila, desenho em branco e preto e perspectiva, fotografia, batik, estamparia, mosaico, tricô, crochê, tecelagem e tapeçaria) além de matérias como: jardinagem, técnicas agrícolas e horticultura.

Através dessa metodologia, os professores buscam despertar o gosto pelo aprendizado, fazendo deste uma atividade não competitiva.

Qual a origem da Educação Waldorf?

Em 1919, em Stuttgart, na Alemanha, Rudolf Steiner – filósofo, cientista e artista austríaco – foi convidado por Emil Molt, o proprietário da fábrica de cigarros Waldorf-Astoria, para uma série de palestras para os trabalhadores de sua fábrica.

 

Como resultado, os trabalhadores pediram a Steiner que fundasse e dirigisse uma escola para seus filhos. Emil Molt, apoiava e financiava a na concretização da ideia. Steiner concordou, mas – para tanto – colocou 4 condições: a primeira era a de que a escola seria aberta, indistintamente, para todas as crianças; a segunda de que a escola fosse co-educacional; deveria também ser uma escola com um currículo unificado de 12 anos e, por último, de que os professores da escola fossem também os dirigentes e administradores da mesma.

Quantas Escolas Waldorf existem atualmente no mundo?

Existem atualmente mais de 700 Escolas Waldorf, espalhadas por 32 países. Mas a rede de Escolas Waldorf é a das que mais cresce atualmente.

*Temos na Secretaria Escolar um livreto com os endereços de todas as Escolas Waldorf do mundo.

 

Qual a filosofia por trás da Educação Waldorf?

De acordo com sua filosofia, chamada Antroposofia, Rudolf Steiner esboçou um currículo que tivesse como pano de fundo as fases do desenvolvimento da criança.

 

Ele pensava que o papel da Escola era o de prover as necessidades das crianças, e não o de atender às necessidades impostas por um Governo ou por forças econômicas.

Tem algo a ver com religião?

Não na forma que comumente é entendida uma escola “religiosa”. Embora tenha fundamentos cristãos, nenhuma doutrina religiosa em particular é defendida ou ensinada.
 
Ao longo do ano, festas como a Páscoa, São João, São Micael, Natal e a Semana da Primavera, são comemoradas. Visam principalmente, despertar na criança valores e sentimentos de compreensão, admiração e reverência à beleza da vida e da natureza.
 
Estas e outras festas, de acordo com o pensamento da Educação Waldorf, servem para religar ou conectar a humanidade com os ritmos da natureza e do cosmos.
 
Essas festas têm origens nas culturas mais antigas, e são uma forma de arte.

São povoadas da alegria e entusiasmo das crianças, quer na preparação, como na celebração.

Como a educação Waldorf lida com crianças que apresentam dificuldades?

As escolas Waldorf relutam em “classificar” crianças com termos tais como: “lenta”, “agressiva”ou “problemática”.

 

A criança que apresenta problemas em uma área – seja ela cognitiva, emocional ou física – geralmente trará em sí, aspectos bons e positivos a serem ressaltados. Ou seja: em paralelo ao trato da particularidade a ser trabalhada, deve ser revelado aquilo que há de melhor nela.

 

É tarefa do professor tentar lidar com este todo da criança, buscando assim o equilíbrio entre suas dificuldades e aptidões.

Por que as escolas Waldorf recomendam que as crianças não assistam à tanta TV?

A razão para isso tem tanto a ver com os efeitos físicos que a TV pode ocasionar numa criança em desenvolvimento, como quanto ao conteúdo da maioria das programações – inclusive infantis – apresentadas pela televisão.


A educação Waldorf acredita que a TV pode atrapalhar ou impedir seriamente o desenvolvimento da imaginação na criança - e a imaginação, dentro da visão Waldorf, é a principal faculdade para um desenvolvimento saudável do indivíduo. Igualmente, o uso de Computadores, em especial os vídeo-games, não é recomendado para crianças pequenas.


É importante dizer que os professores Waldorf não estão sozinhos neste questionamento e postura. Uma série de artigos, livros e estudos sobre os efeitos nocivos da TV e do uso de computadores por crianças tem sido publicada nos últimos anos.

       Rua Dra Lili, 58 Barra Grande, Bahia - Brasil          +55 73 3258 6396         secretariajardimdocajueiro@gmail.com